Havaianas – A história da marca das legítimas

História da Marca Havaianas

A história da marca que inventou o famoso chinelo de dedo feito de borracha! Quem não conhece o slogan “Havaianas, as legítimas”? Os acertos e erros (e erros que se tornaram acertos) dessa marca.

A empresa Alpargatas, dona da marca Havaianas, obtém 50% de seu faturamento proveniente destes chinelos de borracha.

Uma patente registrada em 1966 prova que a Havaianas inventou os chinelos de dedo de borracha. A Alpargatas documentou sua criação, anexando uma imagem técnica que mostrava a concepção de seu primeiro modelo.

Em um primeiro momento, eram produzidos chinelos apenas em 2 cores – base branca e tiras azuis. E aí você deve pensar: quando começaram a aumentar as vendas, fizeram em mais cores… parece coerente isso?

História dos Chinelos Havaianas
Por mais que você responda sim, o motivo foi outro. No ano de 1969 o maquinário da empresa passou por problemas e, acidentalmente, acabou produzindo chinelos com tiras verdes. A Havaianas ficou receosa se o público aceitaria essa modificação caso os pares fossem lançados ao mercado. Mas a aceitação foi tão grande que a marca aproveitou para cometer o mesmo “erro” novamente, fabricando tiras nas cores amarela e preto também.

O mais impressionantemente é a participação das Havaianas: a marca detém 80% do mercado de chinelos de borracha em território nacional. Essa realidade é ilustrada por meio do fato de que 2 a cada 3 brasileiros possui um par de Havaianas.

Cerca de 10% dos aproximadamente 210 milhões de pares fabricados são comercializados para mais de 100 países do mundo – no total, são mais de 200 mil pontos de venda espalhados por aí. Os Estados Unidos merecem destaque nesses números, pois recebe chinelos da marca brasileira em seus 1.700 pontos de venda depois que o Brasil exporta impressionantes 22 milhões de pares.

História da marca Havainas

A origem das Havaianas teve como base inspiratória as sandálias japonesas chamadas Zori, comumente calçadas por quem traja os quimonos. A base das sandálias é feita a partir de materiais mais rústicos, assim como palha de arroz ou até mesmo madeira lascada, e as tiras onde os dedos se apoiam são de tecido.

Quanto vale a marca Havaianas?
Com o conceito desse calçado oriental em mente, o primeiro modelo de Havaianas foi lançado no início de junho de 1962. Os chinelos eram simples, na tradicional combinação das cores branca e azul.

Na época, o valor de compra do produto era baixa, o que auxiliou em um bom volume de vendas, chegando a 13 mil pares em um único dia. A distribuição era feito por meio de Kombis que circulavam por cidades de todo o Brasil com a ajuda dos chamados “vendedores-viajantes”, os quais entregavam cada par de chinelos da Havaianas em sacos plásticos individuais.

Depois que passaram a ser comercializados, os chinelos Havaianas conquistaram um público jovem, na faixa dos 30 anos de idade, que acabavam comprando seus pares em mercados simples, daqueles de bairro mesmo. E foi isso que rendeu ao produto da marca o rótulo de “chinelo dos pobres”.

No entanto, visando desmanchar essa fama, a Havaianas preparou o lançamento de uma novidade – o modelo Havaianas Sky era fabricado com outra gama de cores, mais fortes, além de um design que deixava a região do calcanhar mais alta. As mudanças acarretaram no consequente aumento de preço, cuja elevação também se justificou para atingir um público-alvo pertencente a uma classe mais alta, atingido por meio de propagandas realizadas por grandes figuras públicas e celebridades de sucesso.

Seguindo a tendência de ações que reposicionavam os chinelos Havaianas, a marca também tratou de trabalhar na distribuição do produto em questão. Para estarem ao alcance do público-alvo desejado, os pares passaram a ser dispostos em displays com orientação vertical. Dessa forma, ficava mais fácil para o consumidor escolher seu modelo preferido de acordo com sua numeração. Era o fim das obsoletas bancadas, onde os chinelos eram largados sem nenhum critério de classificação ou separação.

Em 1973 a Havaianas percebe que concorrentes iniciaram o processo de cópia e comercialização de chinelos bastante similares aos seus. Para prevenir seus fiéis consumidores, a marca iniciou uma campanha publicitária para alertar sobre a existência de imitações “fajutas”. O termo gerou repercussão e acabou sendo incorporado aos dicionários Aurélio de língua portuguesa sob o significado de “falsificação” e “má qualidade”.

Para aumentar a exportação para outros países, a Havaianas criou, no ano de 1997, um departamento de comércio exterior. Primeiramente, a rede de distribuidores foi reorganizada. Lojas de renome na Europa, assim como Harrods e Galeries Lafayette, passaram a atuar como parceiras no que diz respeito à divulgação do conceito da marca. Em seguida, foram feitos eventos que visavam divulgar mais a marca. Um exemplo de sucesso foi o que ocorreu na França em 2004, ano em que, durante um único evento, foram vendidos 3 mil pares das sandálias de borracha coloridas.

Evolução da marca Havaianas

É possível retratar a evolução da marca através de uma linha do tempo:

  • 1995: Começam a ser fabricados chinelos Havaianas com estampa floral. No mesmo ano também surgem novas linhas: Fit e Baby.
  • 1996: Os consumidores passam a poder customizar seus pares, aplicando uma cor diferente no solado superior ou adquirindo um modelo monocromático. No mesmo ano, para celebrar as Olimpíadas de Atlanta, a Havaianas lança modelos intitulados “Havaianas Olimpic”. Houve, inclusive, uma variação do chinelo que vinha com um salto.
  • 1998: Surgem Havaianas com cores que fazem referência à bandeira do Brasil. Esses são modelos comemorativos pela participação da Seleção na Copa Mundial.
  • 1999: A distribuição dos chinelos de borracha chegam à Europa, abrangendo países como Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal. A invasão também atingiu o Caribe através da República Dominicana e o hemisfério oriental através do Japão.
  • 2000: A Havaianas não quer que a virada do milênio passe em branco e lança chinelos que brilham no escuro.
  • 2001: Mais sofisticação é trazida à nova linha da marca graças ao lançamento da linha Special Collection, com chinelos que contêm cristais e malhas de metal costuradas por artesãs brasileiras.
  • 2004: Uma parceria com a fabricante de joias H.Stern resulta em pares de Havaianas com acabamento em ouro 18k.
  • 2006: Pensando em seu público feminino a Havaianas lança o modelo Slim, com tiras mais finas e delicadas.
  • 2009: É inaugurada a loja conceito da Havaianas na badalada Oscar Freire, rua paulistana de comércio.
  • 2010: A Europa é brindada com modelos que se inspiram no clima tropical do Brasil – é lançada a linha Soul Collection. 2011: Surgem os primeiros chinelos com estampas de personagens da Disney.
  • 2012: Foram fabricados pares de Havaianas especiais para comemorar os 50 anos de aniversário da marca. A renda conseguida com as vendas desse modelo foi passada para a Unicef realizar seus projetos.
  • 2013: A linha Flat entrega chinelos do tipo rasteirinha, com design mais fino.
  • 2014: A Havaianas começa a fabricar roupas próprias.
  • 2015: A produção deixa de entregar apenas chinelos de borracha e passa e oferecer também galochas coloridas.
  • 2016: Óculos escuros da Havaianas já estão disponíveis para compra.

O que fez a marca Havaianas ser um sucesso?

Isis Valverde Havaianas
Os chinelos da Havaianas eram comercializados desde seus primórdios com a promessa de que não deformavam e não ficavam com cheiro. Não foi necessário muito mais tempo para que as pessoas associassem os pares com o quesito conforto.

Motivo de orgulho que até rendeu uma patente, a Havaianas também apresenta como diferencial o fato de que seus chinelos são fabricados 100% com borracha.

Além de seu design agradável aos olhos, da infinidade de modelos e estampas e de pares que prezam pelo conforto dos pés dos usuários.

A Havaianas criou um modelo gigante de seu chinelo para poder gravar um comercial em 1973. Mais uma vez a intenção era inovar, dessa vez na comunicação. As medidas do chinelo eram enormes mesmo, sendo que o mesmo media 42 metros e pesava 4 toneladas. O resultado foi um comercial de sucesso, em que celebridades aclamadas do momento circulavam por cima da enorme sandália.

Nos anos 1980 a Havaianas já era sinônimo de necessidade. Tanto, que o Ministério da Fazenda inclui os chinelos da marca na lista de itens fundamentais para o que o brasileiro tivesse uma vida melhor.

Uma ação um tanto curiosa da Havaianas foi a que a marca aplicou no ano de 2003 como mais uma tentativa de consolidar seu nome no exterior. E deu certo – indicados ao Oscar de 2003 receberam no dia seguinte da indicação modelos mais sofisticados dos chinelos, os quais eram cravejados por rubis. Os modelos foram entregues em embalagens especiais, com suas respectivas fotos.

Ultimamente, os maiores importadores de chinelos Havaianas são Austrália e Filipinas.

Em 2004 a Havaianas firmou uma parceira com o Instituto de Pesquisas Ecológicas para financiar estudo que tinham por objetivo impedir a extinção de animais da fauna brasileira. Desde então ficou estabelecido que 7% dos lucros com as vendas dos chinelos seria revertido e encaminhado ao Instituto.

Uma ação bastante similar ocorrer entre a Havaianas e a ONG Conservação Nacional. Todavia, essa parceria visava preservar o Arquipélago de Abrolhos, localizado no litoral sul do estado brasileiro da Bahia.

O ano de 2005 marcou a história dos chinelos Havaianas, pois foi nesse ano que houve uma verdadeira revolução quanto à permissão do uso dos pares em instituições de ensino e locais de trabalho. Estudantes e executivos fizeram valer seu direito de calçar as sandálias de borracha. A conquista é retratada pela adoção do nome Havaianas por parte das empresas que denominou que sexta-feira é dia de ir trabalhar com um par de Havaianas nos pés.

Interessante mesmo é saber que as Havaianas entraram para o Guinness Book, o livro dos recordes, no ano de 2006. Isso aconteceu porque milhares de pessoas se reuniram em praias australianas para formar aquela que seria considerada a maior fila do mundo. Curiosamente, essas pessoas carregavam boias no formato dos chinelos de origem brasileira.

E você? O que está fazendo para sua marca ser um sucesso?

Já pensou como foi o começo para as Havaianas? Um chinelo de borracha não era um item de aceitação imediata na época do lançamento, aliás, o preço era muito baixo e era considerado o “chinelo dos pobres”. Imagine a guinada de percepção da marca que houve nos últimos anos! E você? Já parou para pensar no que está fazendo para agregar valor ao seu negócio? Não esqueça do fundamental: você precisa registrar sua marca!

e-Book Como Registrar Sua Marca
Baixe gratuitamente o e-book sobre como registrar sua marca:
BAIXE O E-BOOK AQUI!

Deixe uma resposta